VINDO E VOLTANDO

MENSAGEM DE EURÍPEDES BARSANULFO
VINDO E VOLTANDO
Graças a Deus!

Na escalada de trabalho por vosso burilamento individual, ao que vos propusestes galgar aqui na Terra para logrardes, de alguma forma, penetrar o âmago das vossas maiores necessidades deste ciclo pelo qual passam vossos espíritos, tem havido momentos de grandes aflições vossas, ao lado de algumas alegrias e conquistas, ou, ao menos, muitos dissabores por verificardes, a cada dia, a dor e a aflição de vossos conterrâneos espirituais e do próprio corpo planetário.

Todas as formas de problemas físicos, mentais, emocionais e espirituais dos seres que experienciam vidas humanas neste planeta, sem dúvida, são modalidades de mecanismos de superação de dificuldades naturais no decurso desta trajetória de vossos espíritos em corpos materiais.
Viemos nesse momento trazer a nossa palavra de encorajamento a todos os nossos irmãos em vaso físico nesta hora deciciva para o salto quântico que poderão dar a partir desta vossa encarnação física na Terra.

Para que a vossa força espiritual e os vossos méritos individuais já conquistados nestes milênios e já plasmados no coração idealista de todos vós, que vos sentis como criaturas envolvidas no desforço de se impulsionar a evolução espiritual da humanidade, não sofram paralisação  nestes momentos de desafios existenciais para muitos de vós, é preciso muita compreensão de que muitos quesitos últimos de aprimoramento pessoal podem estar ocorrendo, de formas variadas, pois que serão exigidos de vós todos esses apetrechos de viagem evolutiva rumo a outros patamares siderais.

É preciso que vos armeis da indispensável ‘vigilância’ e ‘cuidado’ com vossos passos, em todos os âmbitos da vida, no decurso deste desfecho de caminhada cíclica finalizadora, pois a pressa e o descuido com vossas ações de hoje ainda poderão repercutir em vosso futuro de forma retardante de vossa libertação.

Esta ‘libertação’ tão desejada, porém, ainda que verdadeiramente possível para milhares de vós, de forma relativa, pois que a evolução é infinita e ininterrupta, deve ser ‘real’ em todos os sentidos !

Não há libertação verdadeira, entretanto, quando ainda haja sinais de arrogância, orgulho, egoísmo, negligências, desamor e maledicência.

Nos momentos do desânimo e da desesperança, da mesma forma, relembrai-vos de que sabíeis que toda burilação espiritual e todos os esforços na direção espiritual de qualquer tarefa de escol, nestes momentos difíceis pelos quais atravessa a humanidade, poderiam ser atingidos por forças menos bondosas que tentariam solapar-vos o êxito em vossos esforços de reconciliações com vossas essências e em vossos labores em prol dos seres humanos.

Mas, quando o alicerce da ‘fé’ é mais soberano que o da ‘dúvida’ ou ‘receio’, todas as empreitadas negativistas não encontram esteio para suas infelizes mancomunações.

É preciso destituirdes os vossos corações, portanto, de toda sombra de vacilação e hesitação quanto à necessária postura de rejeição ao ‘mal’ que deveis ter o tempo todo, como quer que ele esteja tentando se manifestar através de vós, em vossos comportamentos.

Além dos costumeiros espinhos morais remanescentes do vosso passado, muitos ensejos de retroagirdes com atitudes menos felizes podem acontecer a qualquer momento, sendo que a existência vos estará, assim, testando-vos nas vossas reais condições de vos desalgemardes das vidas carnais terrenas.

Para que o propósito de vossa redenção verdadeira no planeta Terra seja autênticamente viável é preciso que possa fluir, de forma harmoniosa, profícua e redentora também, a luz real conquistada por vós, e que se mostre inapagável por situações e circunstâncias humanas e espirituais que, de forma imprevisível e fortuita, surgem sorrateiras e surgirão até o final de vossas vidas lapidadoras.

A Justiça Divina não deixará de ter a última e irrefutável palavra na Sua Suprema Instância de decisões quanto aos destinos de vossos seres, todos sob o Seu Olhar de sabedoria ímpar e inquestionável.

Decidirá ela, de forma irrevogável, para os que ainda não estão prontos para os postos superiores no espaço sideral, pelas suas mazelas morais que não os habilita para tal, em sentença celeste oficial, a ordem ‘final’ de que deverão esses voltar ao cenário da Terra até a sublimação de seus seres, ainda não preparados para vidas em outras estâncias planetárias que não se prestam aos movimentos de retificação redentora como os que as vidas na Terra proporcionam.

Se surge, porém, ao seu aporte mental de ”discernimento’, o momento de seu autoquestionamento sobre as suas possibilidades ou não de compartilharem dos nossos ideais mais sublimes de paz e alegria perenes para todos os nossos irmãos da Terra, saibam esses dedicarem-se à reestruturação de seus andares de consciência espiritual e moral, neste edifício evolutivo que vêm construindo durante as eras.

Assim deve ser, a fim de que lhes sejam designados e presenteados pelo Pai os seus novos ‘modus vivendi’ nas esferas celestiais com as quais tanto sonham e por cujas elucubrações equivocadas e fantasias mentais também muitos ainda escorregam, pela falta de correspondência e reciprocidade de suas atitudes com o enriquecimento maior de suas almas, oportunizados pelo tempo de vida no berço planetário onde ainda se encontram.

É necessário ainda, irmãos da Terra, que haja empenho e constância quanto aos vossos comportamentos e sentimentos no Amor e no Bem.

Na forma de trabalho pela própria alma, de forma serena, mas contínua, acirrada e minuciosa, e para que ela mesma se convença de que somente o Bem que se realiza é o que ‘cobre a multidão de erros e de pecados’ de si mesmos e de todos, coletivamente, é o que vos pretendemos, hoje, deixar como lembrança derradeira como ser espiritual livre, pelo fato de nossa próxima reencarnação em vossos meios, alertando-vos de que é preciso que a vossa alma esteja certa e segura que arregimentou todos os apetrechos morais e espirituais para a grande subida aos céus tão almejada e esperada.

Enlaço-vos verdadeiramente neste meu abraço irmão, despedindo-me por ora, para que possa este que vos escreve agora, ir se encontrar convosco nesta hora difícil da Terra, por amor aos vossos espíritos, aos quais desejo, com profundo respeito pelo que já tendes amealhado como lauréis de vitória sobre vossos pendores, que possam estar vencendo todos os outros vossos embaraços remanescentes de todos os vossos ‘ontens’.

Desvencilhai-vos sempre de qualquer sombra que se vos apresente como luz !

Sempre e sempre estejai atentos, para que o vosso empenho, libertador de vós mesmos, seja garantido e seguro nesta hora de grande redenção conjunta.

Consideráramos prudente deixarmos nossas palavras de hoje com estas advertências, antes de congratularmos nossos muitos irmãos em carne humana pelo grandioso momento de suas grandes vitórias nesta caminhada.

Para que, deste então, limitássemos em vossos corações a ‘acomodação’ e a ‘vaidade’, próprias dos que se regozijam por demais diante das próprias conquistas alcançadas, despreocupados das brechas sorrateiras que poderiam se abrir da vossa ingenuidade final, reiteramos o nosso convite à constante oração e sensatez em todos os momentos e especialmente quando diante de quaisquer circunstâncias inusitadas que despontem à vossa frente, desafiadoras de vossa já ‘presumida’ condição evolutiva satisfatória, apregoada por vós sobre vós mesmos.

Nos céus, no mais Alto, numerosos espíritos responsáveis pela árdua tarefa de levarem socorro às rogativas dos homens, neste momento de indecifrável tormenta na Terra, quando o sofrimento humano grassará em espantosa velocidade, regozijam-se ante a perspectiva de mais um ciclo de aprendizado humano planetário estar sendo concluído, dando lugar e hora a novas tarefas coletivas a serem iniciadas por outros desbravadores de novos incrementos evolutivos ao planeta Terra.

Sua atuação benfazeja, doravante, transmutará em novos moldes societários toda esta balbúrdia final da humanidade alquebrada pela fúria dos finais dos velhos tempos desta vossa Terra, que renascerá em fulgores de glórias renovadoras a partir de agora.

Estipulados pelos vossos mais próximos instrutores espirituais mundiais, descemos à Terra novamente, este que vos escreve e muitos outros, deste luminoso recanto do universo de onde agora envio estas frases últimas como ser desprovido de invólucro carnal.

Em forma de bênçãos maravilhosas sobre este núcleo de trabalho abençoado, onde pétalas fosforescentes cobrem a todos os presentes, e dissolvendo-se graciosamente sobre a coroa de nossa irmã mensageira, despeço-me de vós como Eurípedes Barsanulfo, passando a registrar-me dentre vós no próximo ano com o nome que me for apontado pelos meus novos progenitores, na nação da Santa Cruz.

O momento, para nós, é de alegria, o momento é de louvor ao Pai, por tão misericordiosa oportunidade de auxiliarmos mais um tanto as criaturas terrenas !

Da nossa parte, selamos, neste momento, um compromisso perante todas as luminosas falanges que nos regem a todos, de que não nos omitiremos, prestando nosso auxílio direto e efetivo aos nossos irmãos terrenos, desde o nosso nascimento, dada a relevância do momento planetário, quando deveremos buscar, em espírito desdobrado nas horas do sono, contando com o suporte magnético do corpo físico, as âncoras divinas de salvação e libertação das criaturas que serão atingidas com a grande dor física desta hora e dos próximos decênios da Terra.
Estaremos atentos a todas as circunstâncias que, de uma forma ou de outra, possam estar ao nosso alcance prever, prover e influenciar favoravelmente como missão eleita de forma voluntária.

Permaneceremos em prece, ligados ao Senhor dos Firmamentos, para que a luz do equilíbrio envolva sempre aos responsáveis pelas obras de amor ao planeta e aos novos seres humanos, para que a fecundidade dos propósitos de todos seja a marca fiel com que sejam reconhecidos um dia, já no além.

Que Jesus nos abençoe os passos nessa hora de imenso regozijo espiritual, em que o calor de nossos todos corações, amorosos e unidos no mesmo afã de elevarmos das sombras a humanidade terrena, aquece mais um tanto o gélido coração dos incrédulos, sem que o saibam, pois que um dia deverão receber a dádiva do alívio físico e moral pelas mãos dos que duvidaram que existissem e que estavam lhes cuidando, para que agradeçam perpetuamente ao Pai e glorifiquem-No por toda a eternidade, pela sua Augusta Misericórdia com todos os Seus filhos na Terra e em toda parte deste Seu universo incomensurável !

Muita luz nos caminhos de todos vós !
Eurípedes Barsanulfo
Mensagem recebida telepaticamente por Rosane Amantéa em 16 de novembro de 2010.

@Rosane Amantéa 2010

Esta mensagem pode ser compartilhada respeitando-se os direitos autorais citando o autor e o link.
http://rosane-avozdoraiorubi.blogspot.com/
Obrigada por incluir o nome do autor e o link do site quando repassar esta mensagem.

2 Respostas para “VINDO E VOLTANDO

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s