CAMINHOS ESPIRITUAIS: CONVERGIR, DISTINGUIR, CONVIVER !

MENSAGEM DE MESTRE EL MORYA
CAMINHOS ESPIRITUAIS:

CONVERGIR, DISTINGUIR, CONVIVER !

Amados irmãos deste orbe em parto espiritual de glória !


Reiteraremos sempre as nossas palavras assertivas e as de outros sábios mestres que transitaram e ainda transitam sobre a Terra, a fim de enaltecermos todas as sólidas conquistas intelectivas referentes aos conteúdos espiritualizantes e informativos que já foram trazidos por nossas hostes verdadeiras a alguns canais que não maculam nossas palavras, preservando-as de forma fidedigna quanto aos assuntos relativos às ordens celestiais e a todas as suas dispensações, não apenas em forma de luzes, raios e cores, mas principalmente pelas providências indispensáveis relativas a todos esses núcleos ativos de seres, anjos e mestres que laboram para a evolução dos nossos milhares de irmãos terráqueos e para uma libertação mais maciça possível.


Entretanto, como já temos vindo afirmando, muitas sendas levam ao mesmo Pai !


O chavão do ‘SOMOS TODOS UM’  é pertinente porque é real, mas deve ser particularizado para maior ordem, organização e frutificação de cada identidade ou consciência espiritual, e de cada unidade de serviço espiritual e cósmico neste todo, nesta engrenagem magnífica da ‘vida’ onde pulsam milhares de seres em corpos maiores que suas unidades.


Somos todos um sim ! Mas o ‘Um’ é cheio de partes e funções diferenciadas.


O que tem confundido as massas ligadas à espiritualização da Terra, juntamente com todas as veias de informações que compõem o belo cenário da colcha colorida de enfoques e de luzes sobre o vosso planeta, é o fato de que, universalmente, após a descida do Cristo e logo mais a abertura dimensional para a consolidação da Codificação Kardequiana, paralelamente à revelação da Doutrina Teosófica, seguidas da captação das falas dos Mestres Ascensos e as dos outros Povos Ancestrais, como os de Aruanda e os Mestres Xamãs com toda a sua sabedoria virginal, provinda de outros universos, todos envolvidos com o Governo Espiritual da Terra, ficaram conhecidas algumas disposições teóricas espiritualistas aparentemente antagônicas ou contraditórias entre si.


Afora isso houve e ainda perdura toda uma egrégora de distinção entre todas as doutrinas, quando, a muito custo, seres de boa vontade na Terra e no plano cósmico lutam pela sedimentação da Religião Única Integral, ou ao menos pela universalidade holística, quando todos os conhecimentos sobre os planos extrafísicos e as conjunturas existentes nas vidas humanas por força do entrelaçamento dessas duas realidades do espírito, livre ou em experiência física, começam a se tolerar com uma dose bem perseverante de muitos quanto à tentativa de amar e compreender os demais pontos de vista religiosos ou espiritualistas que estejam conduzindo a humanidade.


‘Unidade’, a partir do conhecimento holográfico de tudo o que existe e especialmente pós revelação da entidade divina “EU SOU” tem sido a palavra mestra do milênio pelas comunidades espiritualistas.


Os novos paradigmas sobre a convergência mundial para o conhecimento das Leis Divinas Imutáveis e para a maior aceitação de novos apontamentos que vem sendo revelados e argumentos diversificados sobre leis espirituais, por parte das sociedades estudiosas dos prepostos científicos e da explicação dos mistérios divinos míticos, ou ainda desconhecidos, tem sido plantados e adubados em muitas mentes de criaturas que detêm condições espirituais de absorção também das verdades relativas e específicas.


Essas, mutáveis e progressivas, que devem ser explicitadas de forma um tanto isolada, a nível teórico, do contexto das demais doutrinas gnósticas, devem ser compreendidas, daqui para frente, na sua face de singularidade e justificada necessidade de ser estudada e implementada de forma mais científica, como senda de caráter lúdico e de função de extrema praticidade transmutadora das energias deletérias do planeta.


Ao levantarmos a bandeira de serem algumas sendas espiritualistas mais referenciadas doravante após eleição por parte de mihares de seres que discutiram a questão em inúmeras reuniões dos Conselhos Intergalácticos e de todas as hostes distintas ligadas à Federação Galáctica, fazemos agora uma introdução sumária, apenas, de que será preciso que haja congruência de esforços espirituais dos seres humanos mais ligados às esferas de ‘trabalho espiritual cerimonial cosmotelúrico’, ou seja, cultos de celebração á natureza em conexão com os raios e forças cósmicas, distinguindo-se na forma e metodologia de muitos outros trabalhos espiritualistas, mas de caráter urgente na atualidade do planeta Terra.


Ao acionarem-se forças cosmotelúricas de mãos sempre dadas com outras práticas ritualísticas, contemplativas, meditativas e espiritualmente apenas teóricas, referentes aos preceitos de cada segmento espiritualista ou religioso na Terra, estarão sendo potencializados mecanismos dévicos em benefício do planeta e dos seres vivos, especialmente nessa hora da transição, onde os elementos da natureza e o seus responsáveis trabalhadores elementais encontram-se em estado de desestabilização fluídica, vital e energética.



Para essas novas formas de incremento à utilização de práticas litúrgicas de caráter telúrico ou cosmotelúrico, e para a aceitação desses enfoques relativos a mais uma das muitas faces da mesma ‘Verdade Integral Divina’, terminam agora, os Mestres Cósmicos, nas reuniões diárias do Parlamento Espiritual Planetário, na Metrópole do Grande Coração, após ciclos ininterruptos de estudos e ordenamento de providências, as planilhas de planejamento dos esquemas e métodos de tradução aos seres humanos sobre os diversos tipos de trabalho de conexão com a Terra e seus elementos, eficazes neste momento do planeta.


Em vestimenta espiritual ou física, começam esses Mestres a designar a muitos médiuns ou estudiosos e práticos da área xamânica e umbandista, ou espírita universalista, as atribuições de semeadura do terreno intelectual da humanidade quanto ao reinício da absorção de conhecimentos considerados por muitos como rudimentares, mas, muito pelo contrário, extremamente científicos, com embasamento e argumentação própria ligados ao aspecto da aplicabilidade das energias condensadas como elementos dos reinos da natureza, mesmo os transformados em usinas industriais ou artesanais como objetos, formato e utilidade no auxílio aos seres humanos e ao próprio planeta.


A Ciência Ancestral tem como prerrogativa e argumento irrefutável o de que todo elemento da Terra, ou objetos ou quaisquer coisas, como alimentos, vestimentas, utensílios, etc, feitos a partir dos elementos da Terra, tem o seu ‘duplo’ etérico que é permeável à ação espiritual externa e é factível de ser utilizado como condensador ou irradiador de energias e fluidos, pois que eles são ‘energia cósmica condensada’.


Existem as modalidades de ação espiritual no planeta Terra que se debruçam a estudar e a aplicar essas leis de intercâmbio entre as energias condensadas e as energias livres. Essas práticas religiosas ou espiritualistas são geralmente rechaçadas pelos que se consideram ‘elites espiritualistas’ pela seu desconhecimento sobre esses temas que doravante serão ícones conceituaus do terceiro milênio ou as novas bandeiras de aglutinação de suas verdades àquelas que já são de conhecimento e domínio público, como setores religiosos ou espiritualistas da sociedade terrena.


O universo dos espiritualistas que sempre primam pela explicação sobre as hieraquias celestes e angélicas, deverá dar destaque, agora, após todo o descerramento teórico sobre as forças celestes, angelicais e  cósmicas, à específica contribuição de uma das unidades de conhecimento sobre poderes etéricos e espirituais latentes no universo da ‘matéria física’.


Universalismo e ecumenismo, ecletismo e unificação são então, sim, as bandeiras do novo mundo, mas a Unidade  de cada coisa criada, de cada departamento ou instância da vida universal, cósmica ou planetária, ou de cada obra individualizada no universo, manifestada como a frequência individual de cada uma dessas identidades, é uma ‘função’ planetária, onde existem ‘leis de aplicabilidade’ próprias.


Da mesma forma como não se pode considerar que um ser humano, que é um ‘Todo’, é somente ‘uma parte’ dele, mas sim um conjunto harmônico, cada pedaço da verdade espiritual sobre a Terra deve ser analisado em suas particularidades e suas funções e atribuições neste novo milênio.


Somos Todos Um e também somos todos ‘nós mesmos’ !


Da mesma forma, todos os segmentos filosóficos e religiosos estão compondo um cenário integrativo no terreno espiritual da Terra, sem deixar, no entanto, que cada um deles tenha seus fundamentos próprios.


Eu Sou Um com Deus, Sou Um com o corpo estelar de todos os povos do universo, Sou Um com o organismo estelar da Terra, com o gigante corpo causal, búdico e átmico da egrégora mestra de Sanat Kumara e do Cristo Cósmico e de Melquisedek, Eu Sou Um com a Luz, Sou Um Convosco, Sou Um com os elementos da Terra, com os elementos de outras plagas galácticas, Sou Um com todos os reinos da natureza humana e dos reinos dos mistérios cósmicos da Criação, mas Sou ‘EU mesmo’, um ser ímpar, inigualável, insubstituível e individualmente cheio de minhas características e predileções próprias !


E nada da minha própria essência me faz desconecta-me do Todo, da Fonte Divina de toda a Criação e de toda a própria Criação !


Eu Sou ‘Eu’ mesmo, é a minha essência única e indivísivel embora amalgamável ou interpenetrante e sustentada por redes e malhas cósmicas ao estilo da vossa, mas de caráter muito mais abrangente, solidário e autosustentável pelas nossas próprias energias de comunhão cósmica amorosa.

Neste Eu Sou individualizado bradam as minhas vontades, minhas idéias próprias, minha personalidade cósmica e minha ‘FUNÇÃO UNIVERSAL’.


Cada ser e cada coisa de cada reino, desde o monádico, passando pelo mineral, o vegetal até o animal, hominal, espiritual e cósmico tem, da mesma forma, a sua ‘função’ própria no universo e na Terra, nos reinos da luz ou nos interiores enigmáticos de suas moradias planetárias provisórias.


‘Funções’, ‘atribuições’ e a ‘designação’ de cada ser, de cada elemento cosmoetérico, astral ou material, extrapolam o âmbito do conceito de ‘hierarquia’, errônea concepção que muitos fazem quanto ao que é material ser mais primário, inferior, menos poderoso, mais rudimentar, de menor alcance vibratório, etc…


A ‘hierarquia’ existe em tudo na Criação, mas dá aos leigos a conotação de que um é mais do que o outro, ou menos do que o outro.


‘Atribuição’ é a especialização de cada ser, na área de sua competência, pelas vivências exaustivas naqueles setores específicos do ‘saber’ ou da ‘ação’, da ‘pesquisa’ e dos meandros intrínsecos à ‘implantação’ do que lhe compete, depois da reflexão e de analise sintética quanto à eficácia dos objetivos de cada ação, da justificação e da exposição dos mecanismos de ação e seus objetivos e frutos, ou resultados.


Nada existe na Criação sem uma ‘Ordem’ e sem uma ‘Organização’ !


A hierarquia divina é organizada ! O UM é o TODO, e cada célula deste todo é ‘Uma Unidade’ em si própria.


E cada unidade deste ‘todo’ tem o seu ‘papel’ no contexto do todo, a sua função e a designação por parte de algum esquema ou órgão de maior responsabilidade sobre todas as partes sob seus auspícios, seu comando ou sua providência, tal qual os órgãos dos corpos humanos. Nem por serem irrigados por glândulas ou órgãos de muita importância deixam de ser importantes quaisquer outros elementos do corpo total, como as células, os tecidos, os neurônios


Tanto esta ‘organização da matéria’, como criação divina, quanto a ‘organização cósmica’ são ‘dispensações celestes’ e são recheadas de competências individuais de seres que tem a ver com papéis semelhantes ou em sincronia, ou com a mesma função ou a mesma atribuição, e que são ‘designados’ pelo Criador a exercerem seus papéis como seres de um mesmo grau evolutivo, miscigenados a outros de outros graus e patamares sintonizados e coerentes quanto às ações que devem ser encetadas por todos juntos, e que tem se expressar e deixar as suas marcas nos mundos da matéria, por modos e estratégias diferenciadas, embora integradas e harmonizadas num sábio plano divino de se nutrirem simbioticamene das forças singulares de cada quais e irradiarem suas luzes próprias, mescladas em todas as suas cores, fundindo-se em suas funções, mas ainda assim sendo únicas e de características frequenciais que tem potenciais de força cósmica ou telúrica, magnética ou radioativa singulares.


Os modos de trabalho espiritual são como as diversas funções de um organismo vivo.


Cada elemento, célula, órgão e tudo o mais de um organismo humano é como é para que o corpo físico seja o que é…


A  grandeza do conjunto faz todo o corpo funcionar harmoniosa e ritmicamente fazendo a vida pulsar.


Tudo é importante e cada parte tem seu papel…


Nada seria igual a um corpo humano se não houvesse a função de cada departamento orgânico nesta engrenagem física do ser humano tão sabiamente bioarquitetada pelo planejamento divino.


Tudo está nos seus devidos lugares em toda a Criação !


Da mesma forma, temos hoje um novo organismo conceitual universalista interrelacionado com todos os seus apontamentos de variadas características que compõem as propriedades de cada qual no grande contexto das suas funções evolutivas na abordagem aos seres humanos e na abordagem quanto à elevação vibratória do planeta Terra.


Tudo se une progressivamente na mente, na alma e nos corações dos homens, mas cada qual das vertentes teóricas ou lúdicas é como é, e cada qual trabalha com o seu sistema próprio de articulações e programações de funcionamento e finalidades específicos.


Não se colocará Mestra Nada tomando sumo de ervas nos coités dos pajés xamânicos e estes não falarão a linguagem mais adocicada do grande amor desta Mestra pela humanidade…


Mas ambos os nossos personagens da história da evolução da Terra são dos patamares da intensa luz dos sábios e mestres e, embora falem e acionem formas e técnicas de auxílio aos seres humanos com suas características e metodologias de ação próprias, fundem-se no grande ‘Todo’ do Grande Ser Cósmico de Cáritas e do Espírito da Verdade, os seres cósmicos egregoriais de Nebadon, onde os mestres da Terra e de todos os planetas, estrelas e sóis confederados de todas as galáxias desta dimensão se interpenetram, ajudando a compor o gigantesco ser vivo do Amor Divino em ação !

De mãos dadas, os xamânicos, os espíritas, os umbandistas, os esotéricos, os que nenhuma religião professam e que são e agem como a expressão do ‘amor sem rótulos’, e nós todos aqui deste governo espiritual da Terra e todos os demais seres dos planos extrafísicos que laboram em sendas de amor e espiritualização de vosso planeta fazemos cada qual a nossa parte, aglutinando-nos nas horas de decisões, orações e ações gerais para o bem dos homens e desse globo em redenção, e nos especializando nas lides que cada qual tem a competência, o conhecimento, a mestria e a habilidade para desenvolver em suas variadas programações de auxílio à Terra.


Chegarão em breve novas pautas diretivas sobre as atuações magísticas que muitos dos grupos espiritualistas poderão colocar em prática, a partir das explicações e argumentos que serão expostos por alguns dos nossos mais renomados especialistas siderais em transmutação planetária através das ‘liturgias vegetoastrocosmomagnéticas’, mestres que são em ‘Ciência Ancestral da Formação e Propriedades dos Elementos da Matéria’, isso em qualquer orbes de plano vibratório físico das dimensões que comportam este tipo de frequência da energia fluídica universal condensada como matéria e seus reinos elementares.


Na iminência dos paulatinos desatres ecológicos em vosso planeta, pela reação da natureza à ação maléfica dos seres humanos durante os milênios de vida que vêm tendo para iluminarem-se e promoverem os esquemas de vida mais compatíveis com as suas necessidades humanas, os trabalhadores da luz, de quaisquer denominações ou vertentes de idéias, terão a oportunidade de utilizarem o que já praticam muitos deles, ou aprenderem, aqueles que nunca cogitaram de que existem outras maneiras de louvar a divindade através dos elementos que Ele próprio criou e dispôs como os princípios potentes e latentes de cada reino, ou, ao menos, contribuírem com sua presença magnética, com as celebrações e liturgias que serão ensinadas pelos mestres Pena Branca e Ramatis, além das excelsas entidades de Aruanda, que conhecem mais do que qualquer de nós, as propriedades dos elementos dos reinos da natureza dirigidos a uma ação magística que acione as ideoplastias que podem ser criadas a partir do éter físico da matéria, a bem da humanidade, na forma de curas e de engendragens fluídicas que processem a revirada na ‘roda de sansara’ nas vidas humanas, especialmente neste momento de finalização do karma coletivo da Terra.


As ritualísticas ancestrais, que já são utilizadas em larga escala pelos mestres de sabedoria sobre o seu poder transmutador da energia dos meridianos do corpo humano e sobre as vidas elementais que podem promover alterações climáticas e providências aos milhares quanto ao favorecimento energético à Terra e aos seres vivos todos, serão, a partir deste momento calamitoso que desponta em vosso planeta, armas poderosas de sustentação egregórica dos novos modelos teóricos das ciências, fiosofias e religiões do terceiro milênio, além de ancoragem definitiva das novas camadas estratosféricas na aura magnética da Terra, posto que já vêm sendo alteradas e purificadas para a instauração das novas energias áuricas do planeta.


Somos Todos Um neste setor também…Unidades ou identidades espirituais e humanas, essas últimas  convergindo para o abraço solidário que abarquem novos conhecimentos em suas bibliotecas pessoais de decretos, orações e mantras, demonstrando assim a sua humildade e abertura mental e espiritual para as novas programações divinas para a Terra.


Tudo continua como segmentos de preferências ou favoritismos quanto a cultos, religiosidade, maneiras de se identificarem ou se conectarem com o Criador e com a Luz, mas não necessariamente segmentados do Todo, do conhecimento integral das funções de cada área religiosa, espiritualista ou de práticas litúrgicas de conexões cosmotelúricas, como a Umbanda, o Xamanismo, a Maçonaria, a RosaCruz, e outros tantos setores espiritualistas onde a Magia Branca é utilizada a bem das vidas humanas e da expansão da energia cósmica universal reciclada de suas alterações quânticas pelas suas celebrações etéreofísicas de amplo alcance frequencial.


Muito se poderá fazer através da ‘convergência’ dos enfoques espiritualistas, ‘distinguindo’-os, porém, nas suas funções específicas e especiais, na ‘sinergia’ harmoniosa de todas eles que não necessariamente tem que se mesclar de forma desorganizada, incoerente e incompatível, mas ‘conviverem’ como supremas conquistas do Ser, com o respeito ao ‘modus vivendi’ de suas culturas espiritualistas de forma multidiscliplinar, trandisciplinar, solidariamente integradas em parcerias e interfaces conceituais que promoverão a ‘Unidade do Pensamento’ e a ‘Inteireza do Conhecimento’.


‘Convergir’, ‘distinguir’ e ‘conviver’ são os instrumentos propulsores da ‘coesão conceitual planetária’ pela qual todos nós, da Grande Fraternidade Branca Universal e todo o Parlamento Espiritual da Terra, temos e estaremos nos empenhando, doravante, impulsionando os seres humanos a lograrem maior alívio e alento durante essas injunções circunstanciais deste tempo de provações acerbas no planeta, ao utilizarem este arsenal da Metaciência, ou das ‘liturgias etéreofísicas’ que serão lhes facultadas conhecer e proceder, através da mestria de Pena Branca e de Ramatis.


‘Convergir’ é direcionar tudo e todos para o foco único do amor, da consciência cósmica e da fraternidade universal.


‘Distinguir’ é dispor cada peça deste imenso mosaico da verdade e das identidades em ascensão com suas funções, tarefas e modos sincrônicos de cada ser criado se adaptar ao Todo, em prol do retorno à sua essência e em prol da evolução coletiva.


‘Conviver’ é doar e receber os frutos e as bênçãos de cada parte, reconhecendo a sua utilidade de cada parte e interagindo com as outras partes, usufruindo sua própria fatia do ‘todo da verdade’ e se beneficiando do contributo de todas as outras fatias desta mesma verdade, em suas luzes distintas, que se distribuem de formas adaptadas às necessidades específicas e diferenciadas para a nutrição espiritual e energética dos seres.


‘Aderir’ pode ser um propósito de muitos e de outros nem tanto e de outros nunca pensar sobre ‘tal aberração’… A integração acena para muitos como algo natural, desagrada a muitos e fomenta discórdias em muitos setores, infelizmente, ainda, na Terra.


‘Compreender’, ‘respeitar’ e ‘ter consciência’ da legitimidade de cada outra função de muitos mestres e de muitos seres irmãos deve ser, no entanto, a meta de todos os estudiosos sinceros das verdades divinas universais e dos que almejam a honra de sua libertação dos liames de experiências carnais, que sempre existirão como suporte existencial ao espírito deficitário, enquanto houver a necessidade do aprendizado da solidariedade, do amor e da humildade verdadeira do seu espírito eterno.


Em comunhão fraterna com todos os meus irmãos na Terra,

EU SOU…



EL MORYA

Mensagem telepática a Rosane Amantéa em 02 de dezembro de 2010.

©2010Rosane Amantéa

Esta mensagem pode ser compartilhada desde que os direitos autorais sejam respeitados citando o autor e o link
Obrigada por incluir o link do site do autor quando repassar essa mensagem.

Uma resposta para “CAMINHOS ESPIRITUAIS: CONVERGIR, DISTINGUIR, CONVIVER !

  1. Pingback: Guia De Supervivencia 2012 Oficial Secretos Revelados. | Is 2012 Real ? Find out the truth!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s