MEDITAÇÃO DA LUA CHEIA – Mestre Tibetano Djwhal Khul

MEDITAÇÃO DA LUA CHEIA

Pelo Mestre Tibetano Djwhal Khul – Extraído do Calendário do EU SOU de Marisa Varela.

            Na Lua Cheia, os canais estão abertos, desimpedidos; a ação é mais fácil; a comunicação também é mais fácil. A Natureza inteira atinge um clímax – cresce, expande-se, avoluma-se; é a própria Mãe do Mundo no seu movimento de parir. Então, tudo está propício para o ato de dar à Luz.

            Na Lua Cheia, o corpo etérico do planeta fica mais sensível a um trabalho de LUZ – a uma mentalização, a uma visualização, a uma irradiação de Cura e de Paz. Assim, se uma pessoa, no plenilúnio, colocar-se à disposição da Grande Fraternidade Branca, oferecendo-se para participar da Obra de Redenção Planetária – ora, muito mais prontamente receberá uma resposta porque, a própria comunicação está facilitada.

            Para a alma que clama pelo Cristo, pela Luz, pela Liberdade, pelo Amor, a Lua Cheia pode tornar-se um selo da aliança da Grande Vida com os Filhos dos Homens.

            Numa instrução sobre a importância da Lua Cheia, o Mestre Djwhal Khul, prescreveu um procedimento através do qual o Filho do Homem pode entrar mais facilmente em contato com Deus e com a Hierarquia da Luz Planetária. Trata-se de uma meditação que tem por objetivo colocá-lo em contato com a sua própria alma, com a alma da humanidade, com a alma do mundo, com o seu Mestre, com os Anjos Solares, com os Elohim, enfim, com todo o Espírito da Santa Hierarquia, estendendo essa comunicação até aos Centro de Luz mais longínquos.

            A meditação deve ser realizada no decorrer de uma semana (três dias antes do plenilúnio, no próprio dia da Lua Cheia e nos três dias subseqüentes), de preferência sempre à mesma hora por uma questão de ritmo. Nesse exercício, cada dia tem um nome e uma função, pensamentos-chave em que a mente deve se fixar e um trabalho interno que tem que ser desenvolvido. Porém, genericamente, considerando-se os três primeiros dias como sendo de PREPARAÇÃO; no quarto dia, em plena Lua Cheia, ocorre o CONTATO; e os três dias seguintes são de COLHEITA. Quanto ao sétimo dia especificamente, ou seja, o último dia da meditação, este também é chamado de RESSURREIÇÃO, na medida em que se dá o domínio do Espírito sobre a matéria e, por ser assim, permite ao discípulo avançar mais um passo em direção ao REINO DOS CÉUS. E, a propósito, é bom lembrar o verdadeiro significado de Ressurreição dado por S. Radhakrishna: “Ressurreição não é o levantar dos mortos de túmulos, mas a passagem da morte da auto-absorção para a vida do Amor altruísta, a transição das trevas do individualismo egoísta para a Luz do Espírito Universal, da falsidade para a Verdade, da escravidão do mundo para a Liberdade do Eterno.”

            A meditação, que dura mais ou menos 15 ou 20 minutos e que começa por um relaxamento, um aquietamento do corpo de da respiração é a seguinte:

PRIMEIRO DIA: O DIA DA CONFIANÇA

            Eu confio na existência do Cristo, eu confio na existência da Hierarquia da Luz, eu confio na verdade de que todo homem é um centelha da Verdade de Deus, é a Realidade que sempre desabrocha e floresce vitoriosamente.

            O Amor é a verdadeira expressão da Vida de Deus. O Amor é, essencialmente, a compreensão da fraternidade, é o reconhecimento de que nós somos, todos, filhos do Pai Uno, e, por conseguinte, o Amor que nos une é piedade e compaixão, é compreensão e paciência.

            Existe uma interação, uma unidade muito íntima entre meu corpo físico e o sistema solar. O meu coração é a própria pulsação solar. EU SOU Amor.

            EU SOU um Centro do Amor Divino, cada dia melhor manifestado aqui na Terra – eu confio nisso plenamente.

            Este trabalho divino de me transformar em Amor está sendo feito pelo próprio Centro de Amor do Universo. Com gratidão, entro agora em contato com esse Grande Centro e lá, em consciência, permaneço.

SEGUNDO DIA: O DIA DA ASPIRAÇÃO

            A partir de agora, o meu veículo astral (isto é, o corpo das minhas emoções e sentimentos) está sendo erguido a um patamar superior de sensibilidade, beleza, adoração e enlevo.

            Amor: eis a Herança, eis a natureza do Único Eu que Somos todos nós.

            Como eu e o Pai Somos Um, toda a minha confiança é depositada Nele e também neste EU que EU SOU.

            EU SOU a própria Consciência. E nessa Consciência que EU SOU, estão compreendidos todo o Universo e todos os mundos que ainda estão por vir.

            Pois a Consciência que EU SOU e a Consciência que é Deus são uma única e a mesma Consciência.

TERCEIRO DIA: O DIA DA DEDICAÇÃO

            A partir de agora, o meu corpo mental está sendo preenchido por muita Energia e expandido para abrigar novos valores transcendentais.

            À semelhança de um lótus, o cálice da minha consciência recebe agora os Raios do Infinito. Eles são a Energia de uma Nova Era e do Terceiro Milênio, e eu compreendo perfeitamente que essa Energia não pode ser retida pois tem que ser compartilhada e doada.

            Firmo agora um solene compromisso: essa Energia que está entrando será usada única e exclusivamente para a realização do Plano Divino e para a elevação da humanidade como um todo.

            Eu me volto conscientemente para o Sol Central Interno, o Cristo em mim, esta esfera de Fogo Radiante que é o meu EU real – este EU que EU SOU e que irradia Luz e Amor em todas as direções.

            Permaneço nessa Consciência durante todo o dia de hoje e nos dias futuros, envolvendo tudo e todos em Sabedoria e Amor.

QUARTO DIA: LUA CHEIA – O DIA DO CONTATO

            Eu me reconheço como uma existência imortal, como um Deus Eterno e uma parcela do Infinito. Não sou apenas Inteligência em ação, mas também sou Amor-Sabedoria. EU SOU Amor Inteligente expressando-se, livre e vitoriosamente.

            Em virtude desse reconhecimento, eu comando: que se realize agora o Contato entre o Fogo mais alto que É em mim (o Cristo que EU SOU), o Fogo da Hierarquia Branca e o Centro Onde a Vontade de Deus É Conhecida (a Casa do Pai neste planeta, Shamballa)! Sim, que se realize e que seja agora! Já!

            (Pausa, Puro silêncio. Atenção plena para o Contato, que já se realiza, Comunhão como os Seres de Luz. Saudação à bela Luz Cheia, símbolo da Grande Mãe, Alegria, Louvor, Paz. Puro silêncio. Depois, segue-se a Grande Invocação, que poderá ser para a Nova Era o que foi o Pai Nosso para o Cristianismo e o Salmo nº 23 para os judeus. Essa Invocação, a que só tinham acesso os discípulos mais adiantados de todas as eras, foi transmitida à humanidade por Jesus, o Cristo, na Lua Cheia do signo de Gêmeos do ano 1945).

A GRANDE INVOCAÇÃO

Do Ponto de LUZ na Mente de Deus,

Flua LUZ às mentes dos homens;

            Que a LUZ desça à Terra.

Do Ponto de AMOR no Coração de Deus,

Flua AMOR aos corações dos homens;

            Que o CRISTO volte à Terra.

Do Centro onde a Vontade de Deus é conhecida,

Guie o Propósito as pequenas vontades dos homens,

            O Propósito que os Mestres conhecem e a que servem.

Do Centro a que chamamos raça dos homens,

Cumpra-se o Plano de AMOR e LUZ

            E mure-se a porta onde mora o mal.

Que a LUZ, O AMOR e o PODER restabeleçam o Plano de Deus na Terra!

QUINTO DIA: O DIA DO REGISTRO

            Eu agora tenho acesso a um novo tipo de Energia – é a própria Energia da Vida, impregnada de propósito e ativada pela intenção.

            Essa Energia, então, começa a descer e a circular livremente em todos os meus corpos; ela se apossa do meu veículo mental, purifica o emocional, regenera o físico.

            EU SOU.

EU SOU e me abro para o Cosmos, para níveis mais elevados de Consciência e Vida.

EU SOU um ser divino que cada vez mais se expressa através de um corpo divino.

LUZ, AMOR e PODER – EU SOU!

SEXTO DIA: O DIA DA ASSIMILAÇÃO

            A Hierarquia Espiritual é um verdadeiro vórtice de atividade amorosa, o lugar onde se reúnem as Energias provenientes do Centro da Vontade Divina e da humanidade – é, pois, o Centro da Inteligência Divina. O Mestre Jesus Cristo se orientou para esse Centro, e por isso eu também, como Cristo imanente que Sou, também me oriento em sua direção.

            (Um breve silêncio, em que se consideram os efeitos de transformação, e de transmutação e de transfiguração que já vêm ocorrendo por conta do contato com a Hierarquia, que é o Grande Centro. Depois, o discípulo reconhece que:)

            EU SOU um cidadão do Reino dos Céus e, como tal, vivo como alma que Sou, em todos os aspectos da minha natureza, através de minha mente e emoções e no plano físico da vida.

            (Sendo um cidadão do Reino, o discípulo estabelece normas de conduta, tais como:)

            Trato de Amar, não de odiar.

            Trato de Servir, não de ser servido.

            Trato de Curar, não de ferir.

SÉTIMO DIA: O DIA DA IRRADIAÇÃO OU DA RESSURREIÇÃO

            “Sede, pois perfeitos como vosso Pai Celestial é perfeito”, disse o Cristo. Por isso, eu reconheço a capacidade de todo ser humano para colocar-se em sintonia com a Mente do Cristo e conhecer o que Ele quer que se saiba.

            Um dos efeitos da LUA e do Plano de Deus é a Ressurreição, que significa vida plena, vida abundante.

            EU SOU a Ressurreição e a Vida, EU SOU a confiança plena no Cristo e na Hierarquia, EU SOU a firme decisão de expressar o Plano na Terra, EU SOU a coragem de me colocar a serviço do mundo e da humanidade. EU SOU um Servidor do Mundo.

            Eu desempenho minha tarefa com séria aspiração. Eu olho para o alto e ajudo embaixo. Não sonho nem descanso: eu ajo, eu sirvo, eu oro. EU SOU a Cruz, EU SOU o Caminho.

            Eu caminho sobre a Obra que faço, elevo-me sobre meu imolado eu. Mato o desejo e luto sem esperar recompensa. Eu renuncio à paz. Perco o meu repouso e, na tensão da dor, perco também o meu eu. Então eu acho o meu Eu e entro na PAZ!

Fonte: http://aluisionestelar.ning.com

Uma resposta para “MEDITAÇÃO DA LUA CHEIA – Mestre Tibetano Djwhal Khul

  1. Olá,

    somos da assessoria de comunicação de um grupo de artesãos que desenvolvem objetos para ajudar a aliviar o stress e a ajudar na meditação, como japamalas, masbahas e kombolóis. Gostaríamos de convidá-l@ para uma visita em nosso blog e Facebook: http://maosocupadas.blogspot.com

    Um abraço,
    Ahow! Comunicação

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s