“OS 24 ELOHIM” E “ANE HI YAR, OS ALTERADORES DA FREQUÊNCIA”

OS 24 ELOHIM
Canalização: Petra Margolis
em 21 de novembro de 2011

Eu recebia informação sobre os Elohim antes de começar, cerca de dois anos atrás.


A última que recebi foi quando eles se chamaram de Ane Hi Yar, ou os alteradores da frequência.


Vocês podem ler essa mensagem abaixo (Ane Hi Yar).


Como parece que é hora de uma atualização e há uma necessidade de mais conhecimento, pois muitos estão olhando para deus ou deuses criadores, eu pedi a eles para nos dar uma ideia do papel deles no processo de ascensão da Terra, e também do nosso.


Como da última vez eu recebi a mensagem de um modo diferente, agora eu perguntei especificamente aos Elohim sobre o conhecimento e orientação deles e da Terra.

Nós somos os 24 Elohim.

Todos nós estamos num grupo de consciência dentro do Espírito, pois nós também estamos encarnados na Terra.
Vocês não nos reconhecerão, pois nós estamos entre vocês para estar a serviço da Terra em seu processo de ascensão; é por isso que estamos aqui.

Nós somos vistos como deuses criadores, nós não somos.

Seu universo foi criado em um momento no tempo em que os muitos envolvidos estavam precisando de uma nova experiência.

Nós somos conselheiros nesta experiência, mas não somente nós, pois há muitos grupos envolvidos no aconselhamento e na criação de uma nova realidade.
Seu universo já estava presente naquele momento e com todos os planetas e seres envolvidos, a realidade da Terra foi criada numa limitação dimensional.

Este não foi o primeiro conceito de criação, pois muitos seres já estavam na Terra, é daí que parte de suas lembranças provém.

Como em todos os universos, a criação muda e às vezes é necessário fazer uma mudança total e completa.

Isto foi feito pela criação da realidade dimensional e da ilusão da realidade física dentro dessas dimensões.

Este é um pequeno resumo, pois a criação de sua realidade foi realizada durante um período de muitos anos na linha de tempo terrena.

Ajustes foram feitos durante o tempo, pois cresceu a necessidade de todos experimentarem limitações físicas ainda maiores, e também como parecia que ao se mudar para a realidade dimensional e o efeito dela na realidade espiritual, muitos se tornaram mais e mais apegados à vida na realidade física, perdendo sua conexão, todos juntos, com a realidade espiritual.

Isto foi discutido muitas vezes quando os encarnados deixavam seus corpos físicos e voltavam ao seu Eu espiritual.

Todos os seres que encarnaram na Terra sempre tiveram livre escolha e eram totalmente informados sobre o processo de se tornar totalmente desconectados de sua existência espiritual quando decidiam mudar para a sua realidade terrena.

No início havia a oportunidade de sair do ciclo de encarnação, pois as partes espirituais não estavam completamente apegadas ao mundo físico.
O mundo físico não era tão denso quanto é agora.

Embora tenha se percebido que o apego ao mundo físico estava se tornando mais e mais a realidade para todos os que estavam encarnados, mesmo enquanto eles retornavam à sua existência em espírito, muitos decidiram entrar no processo de experiência e aprendizagem que estava disponível e entraram totalmente na realidade física da Terra.

Sempre houve conselheiros e orientação quando esses seres se mudavam para sua realidade espiritual, mas eles não eram capazes de mudar totalmente para a sua existência espiritual durante o intervalo entre as encarnações, então foram formados grupos para fornecer orientação a eles nesse níveis de sua existência.

Orientação e conselho somente poderiam ser dados naqueles níveis de existência deles.

Antes de decidir mudar totalmente para a realidade física de encarnação em corpos físicos, um plano foi criado para permitir o retorno à total consciência de sua existência espiritual.

Este plano foi criado no fluxo original do seu universo dentro do fluxo cósmico.
Vocês veem este fluxo dentro dos yugas*.

Haveria seres que encarnariam na Terra com total consciência para ajudar todos os seres na Terra a partir do nível terreno, como também, os seres que os ajudariam no nível espiritual entre as encarnações.

(Obs.: entendo aqui como “ao nível da alma”.)

Às vezes os encarnados se deixariam conhecer, outras vezes eles apenas trabalhariam dentro das frequências nas dimensões.

Nós, os Elohim, sempre fomos os alteradores da frequência, apesar de que alguns de nós tiveram vidas bem conhecidas na Terra.

Há muitos por aí envolvidos no processo de despertar.

Neste momento do tempo nós chegamos outra vez no processo de ascensão da Terra.
Já estivemos neste momento antes e tal como tudo no seu mundo, nem sempre funciona do modo como pretendíamos, por assim dizer.

Há muitos grupos diferentes envolvidos nesta criação dentro do seu universo e nós não trabalhamos todos juntos, como em muitos outros universos.

Muito tempo passou na linha de tempo terrena, e muitos ajustes têm sido feitos por nós, e também por outros que sentiram que era necessário um plano diferente ou eram necessários ajustes diferentes, tanto para o próprio processo deles quanto para o próprio controle do processo deles.

Muitos seres encarnados na Terra retornaram a um ponto em que, entre as encanações, eles estão quase que totalmente reconectados à sua existência dentro do espírito, e todos estiveram envolvidos todas as vezes nas decisões que foram tomadas.

Como nós seguimos o fluxo natural das energias da fonte, a energia cósmica, agora nós estamos de novo num momento de alteração nas realidades dimensionais na Terra.
A alteração é criada pelo fluxo de energia fora do seu universo, mas também pelo fluxo de energia que está dentro do seu universo.

Em certos momentos específicos, os dois fluxos se juntam para criar o ponto zero, como vocês poderiam chamá-lo.

Este é o momento em que a mudança pode se tornar uma realidade integral, ao invés de parcial, pois o ponto zero permite uma mudança completa, e dentro dos fluxos nós somente podemos fazer mudanças parciais.

É aqui que muitos ajudarão na ascensão da Terra, e muitos seguirão a ascensão da Terra.

Sim, todos nós estamos encarnados e nós temos as codificações necessárias para um determinado papel no processo, pois nós estamos encarnados com uma conexão total com nossa existência em espírito.

Nós sabemos que é hora de compreender, pois estamos nos aproximando da ascensão da Terra, e nós estaremos mais prontamente disponíveis para aqueles que desejam compreender.

Como há mais grupos envolvidos, haverá mais grupos que chegarão à sua atenção.
Para aqueles de vocês dispostos a entender o processo de ascensão, nós os orientaremos e ajudaremos se necessário, mas tudo o que vocês precisam é se conectar ao seu próprio ser completo para encontrar as respostas.

Os 24 Elohim

* Yuga (em sânscrito: idade) é uma idade do mundo, segundo o Bramanismo e a Teosofia. Existem quatro Yugas que se sucedem durante o ciclo manvantárico:
– Krita Yuga – com duração de 1.728.000 anos;
– Tetrâ Yuga – 1.296.000 anos;
– Dvâpara Yuga – 864.000 anos;
– Kali Yuga – o atual Yuga, com duração de 432.000 anos.
(http://pt.wikipedia.org/wiki/Yuga)

ANE HI YAR, OS ALTERADORES DA FREQUÊNCIA
em 19 de agosto de 2010

Nas últimas semanas muitas coisas têm acontecido e nós temos notado a diferença nas frequências.
Há um chamado sendo enviado para Ane Hi Yar, muitos os chamam de Elohim.
As histórias sobre eles são muitas e eu tenho pedido por mais informações a respeito deles há tempos.

Eis o que recebi até agora e como eu consegui receber.

Eu pedi para receber a informação diretamente da Fonte e com isso eu quero dizer que eu queria saber o que aconteceu no momento em que a Fonte realmente se tornou a Fonte e o que isso significa agora para nós.

Após as mudanças que foram feitas com o cérebro reptiliano e trabalhar com todos os três cérebros em uníssono, eles não conseguiram comigo.
Eu tenho passado por uma grande atualização ou mudança que me permitiu receber a linguagem provinda da Fonte.

Começou com o som e a luz e quando eu digo isso, foi difícil.
Muitos de vocês assistiram aos filmes “Guerra nas Estrelas” com o robozinho e os sons que ele produz.
Os sons que eu estava recebendo eram pelo menos mil vezes mais rápidos do que os dele e os sons chegavam junto com luz e frequências.
Isto me fez perceber que mesmo que muitos digam que eles conseguem entender e falar a linguagem da luz, isto realmente não é verdade.
Eles estão recebendo uma versão filtrada e reduzida e para compreender totalmente a versão completa é exigida uma tremenda atualização do meu cérebro e entender isso, me levou semanas para eu conseguir captar pequenas palavras e o entendimento que agora eu tenho.

Mas vou começar com o que eu sei neste momento.

Surgiu-me o vazio, a energia dentro do vazio está em equilíbrio total e apesar do vazio aparentemente não conter nada, ele é tudo.
Então alguma coisa aconteceu, houve esta pequena e fraca centelha, uma anomalia, vocês poderiam denominar.
Mas ela foi o início da Fonte como nós a conhecemos.

Esta pequena centelha consistia-se de algumas partículas de energia e a energia parecia se multiplicar.
Essas partículas estavam todas na mesma frequência, mas a proximidade entre elas parecia elevar a frequência até que num ponto houve uma explosão.
O que eu vi é que por causa da fricção e da velocidade cada vez maior no centro dessa bola de energia, ela explodiu de dentro para fora.
Houve uma parte que permaneceu na frequência original, a única palavra que tenho é núcleo, mas as palavras na linguagem da luz são Kay Le Muyar.

As partículas de energia espalharam-se pelo vazio e pareciam vibrar em frequências diferentes da que provieram.
De alguma forma, por causa da explosão, parecia que elas tinham algum tipo de consciência básica: elas queriam voltar para a frequência original.
A Fonte ou Kay Le Muyar passou por uma mudança também e começou a se expandir para recuperar todas as partes que tinham se espalhado.
Isto levou muitos milhões de anos no tempo terreno para se concluir.
Mas, quando todas estavam de volta, havia um conhecimento interior que a Fonte sabia que iria acontecer de novo.
E parece que planos foram feitos, se acontecesse, para recuperar todas essas peças outra vez.

Foi aqui que os Ani He Yar foram criados dentro da Fonte, os alteradores da frequência.
A Fonte ainda estava crescendo, se expandindo, e então aconteceu de novo.
Desta vez foi muito além do que apenas pequenas peças que se espalhavam.
Desta vez eu vi universos sendo criados pelas partículas de energia que pareciam estar no mesmo tipo de padrão de frequência entre si.
Nesses universos eu vi estrelas e planetas sendo criados pelas partículas de energia se reunindo.

Neste momento os Ani He Yar foram enviados para iniciar o processo de retorno de tudo para a Fonte.

Foi aí que minha informação parou.
Eu posso entender o processo até aí, mas há muito mais para ser entendido, o trabalho em mim ainda não está finalizado, e estou aguardando.

O que isso tem a ver conosco neste instante, eu não sei exatamente.
Eu sei que os Ani He Yar estão aqui para ajudar nas mudanças da frequência.

Todos nós somos a fonte, só que nós vibramos numa frequência diferente.
A presença dos Ani He Yar é para reunir a energia e retorná-la à frequência original da Fonte.
Eles reuniram e ajudaram a trazer as diferentes frequências da fonte para doze frequências principais.
As doze tribos espalhadas pela Terra.
Como a Fonte nasceu no Vazio, a única centelha é a nossa existência.
Esta centelha está dentro de vocês, pois vocês agora estão se movendo dentro do Vazio.
Somente pelo renascimento vocês ascenderão, a partir desta única centelha dentro do vazio.
O vazio é onde todo o positivo se torna um com o negativo e vira zero.
Não há escuridão onde há luz, não há luz sem escuridão.

Como vocês estão se movendo para o ponto zero sem retorno, suas ações serão aquilo que os leva para a luz dentro da escuridão, a centelha interior.
Não é quem os levará.
São vocês cujas ações fixarão uma referência para todos que seguirão.
Como o tempo mudará de momento a momento, todos terão a chance de renascer no vazio e se tornar a centelha iluminando.

Na I Ya Ma E Ru Nós somos os filhos da Fonte
Ke Tou Ma Re Nós somos Amor
Ka Te Na U Nós somos Luz
An Ne Ha Guardiões da Fonte

A luz interior é a luz do nosso exterior.
A Fonte é uma frequência, é isto que queremos significar quando falamos: Um com a Fonte.
Não há luz ou trevas dentro da Fonte, somente o Um
Ma Te

Os Ane Hi Yar estão aqui para nos guiar para o Um.
Ka Te Mur O Eu Sou é a Fonte numa velocidade mais lenta, mas ainda é o Um.

Através de Petra Margolis
http://www.ascendedmasters.org/
Fonte: http://lightworkers.org/channeling/
Tradução: SINTESE
http://blogsintese.blogspot.com/

Some content on this page was disabled on January 19, 2016 as a result of a DMCA takedown notice from Photos5.com. You can learn more about the DMCA here:

https://en.support.wordpress.com/copyright-and-the-dmca/

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s